Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Destaques da edição de Dezembro de 2018

CONGO RD

RDC sofre com o surto de ébola

ESTADOS UNIDOS

El Niño estará de volta em 2019

ANGOLA

Angola defende que UA ‘precisa de estar à altura dos anseios da população’

CONGO RD

Ébola na RDC à beira de um avanço no tratamento

ANGOLA

PNUD financia projectos de resiliência à seca em Angola

ÁFRICA DO SUL

Pravin Gordhan apresenta queixa contra Julius Malema

ESTADOS UNIDOS

ESTADOS UNIDOS DEMOCRATAS RECUPERAM CÂMARA DOS REPRESENTANTES

COMORES

FRACASSO DA REBELIÃO NA ILHA DE ANJOUAN

Rádio

Publicidade

Política

Brasil iniciou formação de tropa especial em São Tomé e Príncipe

| Editoria Política | 23/07/2014

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Militares das forças armadas, Guarda Costeira e Guarda Presidencial começaram hoje uma formação de fuzileiros navais para a criação de uma tropa especial de componente naval em São Tomé e Príncipe, no âmbito da cooperação militar com o Brasil.

O governo são-tomense considera de "um marco histórico nas forças armadas" a realização desta formação
(DR)

Durante quatro meses, os 30 militares são-tomenses terão um curso intensivo, com apoio técnico e logístico da cooperação militar com o Brasil.

O encarregado de negócios da embaixada do Brasil em São Tomé, Maurício do Carmo considerou a formação como "um dos desígnios maiores" da cooperação militar entre os dois países.

"A embaixada do Brasil entende como passo precioso a presente cooperação (militar) que começou com a transferência de bem patrimoniais e de consumo para a Guarda Costeira de são Tomé e Príncipe", recordou o diplomata, aludindo à recente oferta de uma fragata brasileira àquela componente militar são-tomense.

"É uma satisfação contribuir para o fortalecimento da Guarda Costeira de um país amigo, que comunga os mesmos ideais pacíficos bem impressos na Zona de Paz e Cooperação do Atlântico Sul (ZOPACAS), da qual fazem parte o Brasil e são Tomé e Príncipe", sublinhou.

O governo são-tomense considera de "um marco histórico nas forças armadas" a realização desta formação.

"O Brasil tem sido um grande parceiro de São Tomé e Príncipe no quadro das reformas das forças armadas", defendeu o chefe de Estado-Maior das Forças Armadas de São Tomé e Príncipe, brigadeiro Justino Lima, sublinhando que o curso visa "responder a um desafio nacional e internacional".

"Ajuda-nos a confrontar o problema da pirataria marítima e também capacita os nossos militares que poderão ser chamados um dia para responder a uma solicitação no quadro do apoio internacional", explicou o comandante militar são-tomense.

Redação com Agência

 

 

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade