Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Agosto de 2019

ÁFRICA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA EM ÁFRICA, UMA BOMBA AO RETARDADOR

ÁFRICA

O PARADIGMA PARTICULAR DA DEMOGRAFIA VERSUS DESENVOLVIMENTO

ANGOLA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA UMA BOMBA DE EFEITO RETARDADO

EUROPA

O PESADELO DEMOGRÁFICO QUE ASSOMBRA A EUROPA

MOÇAMBIQUE

POR ALGUNS DÓLARES MAIS

MUNDO

MUDANÇAS CLIMÁTICAS PODEM ENGENDRAR “APARTHEID GLOBAL”

VENEZUELA

O CAPCIOSO RELATÓRIO BACHELET

ÁFRICA

RUMO A UMA ÁFRICA INTEGRADA E PRÓSPERA

Estudos

Moçambique - Indicadores de Confiança e de Clima Económico - Maio 2014

| Editoria Estudos | 08/07/2014

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Moçambique – Indicadores de Confiança e de Clima Económico – Maio 2014


(DR)

1.ANÁLISE AGREGADA

Clima económico das empresas agrava a quebra em Maio

O indicador do clima económico das empresas (ICEE) agravou, duma forma substancial, a diminuição registada em Abril do corrente ano. Este facto foi influenciado, principalmente, pela queda das perspectivas de emprego no mesmo mês de referência.

Este momento desfavorável da conjuntura económica Moçambicana deveu-se, sectorialmente à queda observada nos sectores de alojamento (incluindo restauração e similares), de comércio e de outros serviços não financeiros se comparado com o mês anterior. Em sentido contrário, os agentes económicos dos sectores industrial e de construção manifestaram uma avaliação positiva em relação ao andamento da economia do país. O sector de transporte registou uma estabilização.

Perspectiva da procura continuou com trajectória ascendente em Maio

Em Maio, o indicador da perspectiva da procura consolidou o comportamento favorável pelo segundo mês consecutivo, tendo o seu saldo se situado ligeiramente acima da média. A previsão abonatória da procura no mês em análise contou com os contributos positivos de todos os sectores inquiridos, com excepção dos ramos empresariais de alojamento (que inclui a restauração e similares) e de comércio que registaram uma quebra no mês em análise.

Previsão de emprego abranda em Maio

O indicador da perspectiva de emprego registou uma redução ligeira em Maio, após a trajectória ascendente de cinco meses. Esse abrandamento foi influenciado pela apreciação negativa do indicador em todos os sectores, exceptuando as actividades da produção industrial e do comércio que registaram previsões favoráveis do emprego no mês em análise.

Preços futuros continuam em subida no mês de Maio

Em Maio, o indicador de perspectiva dos preços continuou pelo segundo mês consecutivo com a ligeira subida tendo, devido a essa baixa magnitude, o seu saldo permanecido abaixo da média. A previsão de subida de preços futuros no mês em análise está associada à opinião extraordinariamente inflacionista vaticinada pelos agentes económicos do sector industrial, o que suplantou as restantes actividades inquiridas no mês em referência que consideraram que os preços vão descer.

Empresas com constrangimentos diminuem 6% em Maio

Em média, 28% das empresas inquiridas enfrentaram algum obstáculo em Maio, situação que representou uma recuperação pois houve diminuição de 6% de empresas com constrangimentos face ao mês anterior.

A redução da proporção de empresas com constrangimentos no mês em análise foi influenciada, principalmente, pelo decréscimo de empresas com dificuldades em todos os sectores, com maior destaque para os sectores de construção (38%), produção industrial (31%) e de transportes (29%) que continuaram com maior quota.

2.ANÁLISE SECTORIAL

2.1.Conjuntura do Sector de Alojamento, Restauração e Similares

Confiança na actividade hoteleira, restauração e similares agrava-se em Maio

Em Maio, o indicador de confiança do sector de alojamento, restauração e similares continuou pelo segundo mês consecutivo em queda (ainda que ligeira), situação associada com a época baixa do sector que actualmente se regista.

Mas factualmente, a redução da confiança do sector contou com avaliação desfavorável de todos os componentes do indicador síntese do sector, sendo o volume de negócios e a perspectiva da procura os indicadores que registaram maior queda no mesmo mês de referência.

Cerca de 21% das empresas deste sector enfrentaram alguma limitação de actividade em Maio, o que representou uma diminuição de 11% das empresas com obstáculos no seu desempenho normal relativamente ao mês anterior.

Os principais factores referidos pelos agentes económicos do sector continuaram a ser a baixa procura, a concorrência e os outros factores não especificados em ordem de importância.

2.2.Conjuntura do Sector de Serviços de Transportes

Confiança nos serviços de transportes estabiliza-se em Maio

Em Maio, o indicador de confiança do sector de serviços de transportes registou uma estabilização, depois de um posicionamento ligeiramente positivo no mês anterior.

Esse comportamento do indicador em análise justifica-se, principalmente, pelas apreciações favoráveis do volume de negócios e da perspectiva de subida de volume de negócios no mês em análise mas equilibradas pela perspectiva de queda do emprego.

Em linha com as perspectivas de emprego, a perspectiva de tarifa diminuiu também duma forma ligeira, facto contrariado pela subida de tarifas actuais e da apreciação favorável da carteira de encomendas no mesmo período de referência.

Cerca de 29% das empresas inquiridas deste sector enfrentaram algum obstáculo no período em análise, facto que correspondeu a uma diminuição de 6% de empresas com dificuldades face ao mês anterior.

No entanto, os elevados custos operacionais, a concorrência, a baixa procura e os outros factores não especificados continuaram como obstáculos que mais influenciaram negativamente o desempenho do sector.

2.3.Conjuntura do Sector da produção industrial, Electricidade e Água

Confiança no sector industrial em ascensão no mês de Maio

Em Maio, o indicador de confiança do sector de produção industrial prolongou a trajectória ascendente que vem registando desde Março do corrente ano, superando assim em termos de saldo os últimos dez meses da sua série temporal. A subida da confiança neste sector foi influenciada pela avaliação favorável de todos componentes do indicador, com maior destaque para a perspectiva de emprego que subiu extraordinariamente.

Em linha com o indicador síntese do sector, a perspectiva de preços e o volume de negócios também subiram, situação traduzida pela caracterização dos stocks como estando abaixo do normal no mesmo mês em referência.

Neste sector, as empresas com constrangimentos atingiram 31% das unidades inquiridas no mês em análise, o que representou 5% de diminuição de empresas com constrangimentos face ao mês anterior.

Vários factores continuaram a afectar o sector industrial, de electricidade e água, destacando-se os outros factores não especificados, a concorrência e a falta de matéria-prima como obstáculos mais importantes.

2.4.Conjuntura do Sector da Construção e Obras Públicas

Confiança no sector de construção recupera em Maio

Em Maio, o indicador de confiança empresarial do sector da construção recuperou ligeiramente, tendo o seu saldo continuado ao nível mais alto dos últimos nove meses da sua série temporal.

Esta recuperação foi influenciada pela avaliação favorável da carteira de encomendas e da perspectiva de subida de volume de negócios que em conjunto suplantaram assim a queda brusca das perspectivas de emprego.

No mesmo período de estudo, a perspectiva de preço abrandou num clima caracterizado pela apreciação abonatória da actividade actual no mesmo mês em análise.

Cerca de 38% de empresas do sector registaram no mês de referência alguma limitação no desempenho normal da sua actividade, o que representou 12% de redução de empresas em dificuldades face ao mês anterior.

Os principais obstáculos do sector continuaram a ser a baixa procura e os outros factores não especificados em ordem de importância.

2.5.Conjuntura do Sector de Comércio

Confiança no sector do comércio desfavorável em Maio

Em Maio, o indicador de confiança do sector do comércio registou uma diminuição substancial se comparado com o mês anterior.

Esse comportamento desfavorável do indicador do sector em análise está ligado à avaliação negativa da actividade actual e da perspectiva de queda da procura que suplantaram assim o aumento da procura actual no mesmo período de referência.

Em linha com indicador síntese do sector, o volume de negócios diminuiu também consideravelmente num clima de queda dos preços futuros (perspectiva de preços) e das perspectivas do volume de negócios no mesmo período de referência.

Cerca de 25% das empresas do comércio observaram algumas dificuldades no seu desempenho da actividade em Maio, facto que representou uma estabilização de empresas do sector com limitação de actividade face ao mês anterior.

Os principais factores que afectaram o desempenho do sector foram a concorrência e a falta de pessoal qualificado e os outros factores não especificados.

2.6.Conjuntura do Sector de Outros Serviços Não Financeiros

Confiança no sector de outros serviços volta a cair em Maio

Em Maio, o indicador de confiança do sector de outros serviços não financeiros voltou a diminuir ligeiramente depois de ter dados sinais de recuperação em Abril.

A queda do indicador de confiança deste sector está associada à avaliação desfavorável da actividade actual bem como à previsão negativa da facturação futura (perspectiva do volume de negócios) num ambiente caracterizado pela perspectiva de subida da procura.

No mesmo período de análise, os preços futuros (perspectivas de preços) e o volume de negócios registaram uma apreciação negativa num ambiente que se caracterizou pelo aumento substancial da procura actual.

Cerca de 22% das empresas deste sector foram afectados por algum factor negativo no mês de referência, o que correspondeu praticamente a uma estabilização de empresas do sector com alguma limitação de actividade face ao mês anterior.

O desempenho do sector foi afectado principalmente pelos outros factores não especificados, a concorrência e a baixa procura em ordem de importância.

INE Moçambique

Maio de 2014

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade