Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Agosto de 2019

ÁFRICA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA EM ÁFRICA, UMA BOMBA AO RETARDADOR

ÁFRICA

O PARADIGMA PARTICULAR DA DEMOGRAFIA VERSUS DESENVOLVIMENTO

ANGOLA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA UMA BOMBA DE EFEITO RETARDADO

EUROPA

O PESADELO DEMOGRÁFICO QUE ASSOMBRA A EUROPA

MOÇAMBIQUE

POR ALGUNS DÓLARES MAIS

MUNDO

MUDANÇAS CLIMÁTICAS PODEM ENGENDRAR “APARTHEID GLOBAL”

VENEZUELA

O CAPCIOSO RELATÓRIO BACHELET

ÁFRICA

RUMO A UMA ÁFRICA INTEGRADA E PRÓSPERA

Sociedade

Igreja Ortodoxa etíope critica passividade das autoridades face à violência

| Editoria Sociedade | 28/10/2019

-A / +A

Imprimir

-A / +A

A Igreja Ortodoxa etíope criticou no domingo a resposta do governo do primeiro-ministro Abiy Ahmed face à violência que matou mais de 60 pessoas nesta semana naquele país, afirmando que o mesmo falhou no seu dever de proteger os cidadãos.

"As pessoas estão a morrer e a perder as esperanças. Nos perguntamos se o governo realmente existe ", disse à agência AFP o padre da Igreja Ortodoxa, Markos Gebre-Egziabher, durante uma missa na Catedral da Santíssima Trindade de Adis Abeba.

O porta-voz da igreja disse que 52 ortodoxos etíopes incluindo dois sacerdotes estavam entre as vítimas da violência. No entanto, não houve confirmação do governo.

Segundo as autoridades etíopes, a violência entre os manifestantes e a polícia eclodiu na quarta-feira, antes de se espalhar pela região de Oromia, onde os apoiantes do activista, Jawar Mohammed, saíram às ruas e bloquearam as estradas em várias cidades.

No sábado, o primeiro-ministro Abiy Ahmed, recentemente premiado com o Prêmio Nobel da Paz, denunciou "uma tentativa de provocar uma crise étnica e religiosa" no país.

"A crise que estamos a enfrentar pode piorar se os etíopes não se unirem", alertou Ahmed, acrescentando que trabalhará incansavelmente para garantir que a justiça prevaleça e que os culpados sejam julgados.

A comunidade ortodoxa possui cerca de 40%  fiéis dos 110 milhões de etíopes.

 

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade