Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Agosto de 2019

ÁFRICA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA EM ÁFRICA, UMA BOMBA AO RETARDADOR

ÁFRICA

O PARADIGMA PARTICULAR DA DEMOGRAFIA VERSUS DESENVOLVIMENTO

ANGOLA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA UMA BOMBA DE EFEITO RETARDADO

EUROPA

O PESADELO DEMOGRÁFICO QUE ASSOMBRA A EUROPA

MOÇAMBIQUE

POR ALGUNS DÓLARES MAIS

MUNDO

MUDANÇAS CLIMÁTICAS PODEM ENGENDRAR “APARTHEID GLOBAL”

VENEZUELA

O CAPCIOSO RELATÓRIO BACHELET

ÁFRICA

RUMO A UMA ÁFRICA INTEGRADA E PRÓSPERA

Economia

China investiu 785 mil milhões de dólares em projectos no continente africano

| Editoria Economia | 28/06/2019

-A / +A

Imprimir

-A / +A

A China investiu em projectos no continente africano cerca de 785 mil milhões de dólares,em 2018, 46 mil milhões dos quais em investimento directo e 3 600 empresas chinesas investem no mercado africano, anunciou na quinta-feira,27, ovice-Primeiro-Ministro da China, Hu Chunhua.

 “Em 10 anos consecutivos, a China tornou-se o maior parceiro comercial de África e a nossa cooperação deve ser cada vez mais ampliada para que possamos colher bons resultados em diversos níveis”, disse o vice-Primeiro-Ministro.

Hu Chunhua explicou na abertura da 1ª Exposição Económica e Comercial China-África em Changsha que 350 produtos agrícolas de origem africana chegam ao mercado asiático todos os anos.

A África se tornou no segundo maior mercado de emprego para a população chinesa que de forma activa participa na construção de infra-estruturas como canais ferroviários, telecomunicações e energia, disse o governante chinês

“Nos últimos anos, erguemos cerca de 25 zonas económicas de países africanos como o Egipto, Etiópia e Uganda, onde elevamos os níveis de produção local e promovemos desenvolvimento do sector industrial”, afirmou.

Hu Chunhua lembrou que o Fórum de Cooperação China-África que decorreu no ano passado e juntou vários líderes africanos permitiu reforçar os laços e traçar um plano de acção que visou promover 100 medidas de cooperação sino-africana.

O vice-Primeiro-Ministro manifestou a vontade de elevar o nível de importação de produtos africanos que na sua opinião, vão ajudar a aumentar o volume de receitas dos seus orçamentos.

A China apoia a criação da Zona de Livre-Comércio Continental Africana, a qual considera uma plataforma transfronteiriça apropriada para alargar o comércio electrónico e o turismo, embora se exija o reforço da supervisão do mercado de ambos continentes.

Em Novembro do ano em curso vai acontecer a 2ª Feira de Importação da China, onde se espera uma presença massiva de empresas africanas.

“Vamos incentivar a cooperação em investimento, estimular as empresas chinesas a reforçar os negócios em África e actualizar os nossos projectos em parceria com o Fundo de Desenvolvimento de África”, assegurou.

Na mensagem de Xi Jinping, é declarado que existe uma clara intenção de potenciar o empréstimo chinês à África para apoiar iniciativas como a construção de uma indústria automóvel forte e capaz de competir com os mercados mais desenvolvidos, além de que, prossegue, “a China e a União Africana já deram início a planos de cooperação para trabalhar na concretização de projectos em energia renovável, telecomunicações e recursos hídricos.”

Para o vice-Primeiro-Ministro, o desenvolvimento socioeconómico da China só foi possível com uma reforma estrutural que levou muitos anos a ser implementada e uma abertura do mercado que considerou ser importante ampliar através da cooperação.

 

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade