Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Agosto de 2019

ÁFRICA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA EM ÁFRICA, UMA BOMBA AO RETARDADOR

ÁFRICA

O PARADIGMA PARTICULAR DA DEMOGRAFIA VERSUS DESENVOLVIMENTO

ANGOLA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA UMA BOMBA DE EFEITO RETARDADO

EUROPA

O PESADELO DEMOGRÁFICO QUE ASSOMBRA A EUROPA

MOÇAMBIQUE

POR ALGUNS DÓLARES MAIS

MUNDO

MUDANÇAS CLIMÁTICAS PODEM ENGENDRAR “APARTHEID GLOBAL”

VENEZUELA

O CAPCIOSO RELATÓRIO BACHELET

ÁFRICA

RUMO A UMA ÁFRICA INTEGRADA E PRÓSPERA

Sociedade

Três pessoas detidas em Moçambique com ossadas de criança albina

| Editoria Sociedade | 30/04/2016

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Três indivíduos de nacionalidade moçambicana foram detidos, quinta-feira, no distrito de Moatize, província central de Tete, na posse de ossadas de uma criança albina.

Os detidos confessaram o seu envolvimento no crime, afirmando que pretendiam vender os ossos da criança como forma de ganhar muito dinheiro
AFP (DR)

Segundo a porta-voz da Polícia moçambicana (PRM) naquela província, Lurdes Ferreira, os indivíduos pretendiam vender as ossadas num valor de 500 mil meticais (pouco mais de 10 mil dólares) a um indivíduo que, até agora, se encontra foragido.

«A Polícia soube graças a uma denúncia levada a cabo pelas populações daquele distrito. Assim sendo, a corporação fez-se ao local, detendo os três cidadãos», disse a porta-voz, citada pela Televisão Pública (TVM). «A ossada era pertencente a uma criança de 9 anos, de sexo masculino. Estes indivíduos estão associados à prática de crimes contra os mortos, segundo o artigo 263 do Código Penal», acrescentou.

Os detidos confessaram o seu envolvimento no crime, afirmando que pretendiam vender os ossos da criança como forma de ganhar muito dinheiro. «Pretendíamos vender os ossos a um preço de 500 mil meticais, pois precisávamos de muito dinheiro», afirmou um dos detidos, de acordo com a polícia.

Nos últimos tempos, Moçambique tem registado vários casos de raptos e mortes de cidadãos com problemas de pigmentação na pele, destacando-se a zona norte do país como a que mais casos do género regista.

Redação com Agência

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade