Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Agosto de 2019

ÁFRICA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA EM ÁFRICA, UMA BOMBA AO RETARDADOR

ÁFRICA

O PARADIGMA PARTICULAR DA DEMOGRAFIA VERSUS DESENVOLVIMENTO

ANGOLA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA UMA BOMBA DE EFEITO RETARDADO

EUROPA

O PESADELO DEMOGRÁFICO QUE ASSOMBRA A EUROPA

MOÇAMBIQUE

POR ALGUNS DÓLARES MAIS

MUNDO

MUDANÇAS CLIMÁTICAS PODEM ENGENDRAR “APARTHEID GLOBAL”

VENEZUELA

O CAPCIOSO RELATÓRIO BACHELET

ÁFRICA

RUMO A UMA ÁFRICA INTEGRADA E PRÓSPERA

Economia

Djibouti lança megaprojeto global de gás

| Editoria Economia | 22/03/2016

-A / +A

Imprimir

-A / +A

O Presidente do Djibouti, Ismaïl Omar Guelleh, lançou recentemente a primeira pedra do novo megaprojeto de gás do país, em Damerjog, que consiste numa conduta de gás natural, numa planta de liquefação e num terminal de exportação.

A nova conduta, com 700 quilómetros, transportará até 12 mil milhões de metros cúbicos de gás natural anualmente, da Etiópia para o Djibouti
(DR)

O projeto irá permitir ao país, e também à Etiópia, exportar gás para a China, além de apoiar o desenvolvimento socioeconómico da região.

A nova conduta, com 700 quilómetros, transportará até 12 mil milhões de metros cúbicos de gás natural anualmente, da Etiópia para o Djibouti. Já a planta de liquefação terá capacidade para produzir até 10 milhões de toneladas de Gás Natural Liquefeito (LNG) anualmente.

O financiamento deste projeto é assegurado pela empresa chinesa POLY-CLG Petroleum Group Holdings Ltd., sendo o custo total de aproximadamente 4 mil milhões de dólares. Os trabalhos de construção deverão estar concluídos daqui a três anos.

O ministro da Energia do Djibouti, Ali Mahmoud Yacoub, disse, na cerimónia de lançamento da obra, que «este megaprojeto de gás envolve três países – Djibouti, Etiópia e China –, que aceitaram trabalhar juntos para que este projeto seja um sucesso e fique operacional o mais rapidamente possível». «O Djibouti fica num cruzamento de uma das rotas de comércio mais dinâmicas do mundo, que liga Europa, Extremo Oriente, África e o Golfo. É uma porta natural para África, com ligações rodoviárias, ferroviárias, marítimas e aéreas», continuou. «Este projeto reforça a posição do país como um hub económico comercial e regional, e irá expandir a capacidade dos nossos portos. É também uma grande oportunidade para reforçar a política de integração regional. É claro que quer o Djibouti que a Etiópia querem estender essa política ao setor energético», vincou ainda o governante.

Redação

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade