Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Agosto de 2019

ÁFRICA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA EM ÁFRICA, UMA BOMBA AO RETARDADOR

ÁFRICA

O PARADIGMA PARTICULAR DA DEMOGRAFIA VERSUS DESENVOLVIMENTO

ANGOLA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA UMA BOMBA DE EFEITO RETARDADO

EUROPA

O PESADELO DEMOGRÁFICO QUE ASSOMBRA A EUROPA

MOÇAMBIQUE

POR ALGUNS DÓLARES MAIS

MUNDO

MUDANÇAS CLIMÁTICAS PODEM ENGENDRAR “APARTHEID GLOBAL”

VENEZUELA

O CAPCIOSO RELATÓRIO BACHELET

ÁFRICA

RUMO A UMA ÁFRICA INTEGRADA E PRÓSPERA

Economia

Central elétrica flutuante fornece energia a Moçambique e Zâmbia

| Editoria Economia | 22/03/2016

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Moçambique e a Zâmbia vão passar a receber energia elétrica a partir de uma central flutuante, instalada no porto moçambicano de Nacala, no norte do país, e já inaugurada pelos dois chefes de Estado.

A nova central, com capacidade para 115 megawatts, representa uma fonte energética de qualidade e eficiente para os dois países
(DR)

«Voltamos a afirmar, com atos aqui em Nacala, que o nosso Programa Quinquenal está comprometido com a geração, o transporte e a distribuição de energia elétrica, e este ato é demonstrativo de um dos projetos concebidos para esta região», declarou o chefe de Estado moçambicano, Filipe Nyusi, na cerimónia de inauguração, no sábado.

A nova central, com capacidade para 115 megawatts, representa uma fonte energética de qualidade e eficiente para os dois países.

Para Filipe Nyusi, a central elétrica flutuante traduz um marco no modelo de integração regional na Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), dado que Moçambique e Zâmbia se uniram em torno de uma iniciativa que vai proporcionar competitividade às suas economias. Por seu turno, o Presidente zambiano, Edgar Lungu, considerou a infraestrutura estratégica, assinalando que esta irá ajudar a reduzir o défice energético que assola a Zâmbia. «Quero exprimir a minha gratidão em nome do povo da Zâmbia pela pronta e oportuna resposta que o governo moçambicano deu para facilitar este projeto energético ao nosso país», afirmou Lungu.

A central está numa barcaça atracada no porto de Nacala, província de Nampula, e teve um custo de 24 milhões de dólares. A energia gerada pelo empreendimento está a ser fornecida às províncias moçambicanas de Nampula, Cabo Delgado e Niassa, todas mo norte, e à Zâmbia.

Redação com Agência

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade