Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Agosto de 2019

ÁFRICA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA EM ÁFRICA, UMA BOMBA AO RETARDADOR

ÁFRICA

O PARADIGMA PARTICULAR DA DEMOGRAFIA VERSUS DESENVOLVIMENTO

ANGOLA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA UMA BOMBA DE EFEITO RETARDADO

EUROPA

O PESADELO DEMOGRÁFICO QUE ASSOMBRA A EUROPA

MOÇAMBIQUE

POR ALGUNS DÓLARES MAIS

MUNDO

MUDANÇAS CLIMÁTICAS PODEM ENGENDRAR “APARTHEID GLOBAL”

VENEZUELA

O CAPCIOSO RELATÓRIO BACHELET

ÁFRICA

RUMO A UMA ÁFRICA INTEGRADA E PRÓSPERA

Política

Fixado calendário eleitoral das presidenciais no Congo

| Editoria Política | 03/02/2016

-A / +A

Imprimir

-A / +A

As autoridades do Congo fixaram as datas de depósito de candidaturas e da campanha eleitoral, que deve durar duas semanas, para as presidenciais de 20 de março de 2016, segundo um decreto do ministério do Interior.

A campanha eleitoral decorre de 4 a 18 de março
(DR)

O decreto do ministro do Interior, Zéphirin Mboulou, indica que o período de depósito das candidaturas vai de 5 a 20 de fevereiro de 2016. A campanha eleitoral, segundo o diploma lido na emissora oficial, indica que a campanha eleitoral começa a 4 de março e que será encerrada a 18 de março à meia-noite.

Segundo o decreto, um candidato à eleição «deve ter uma declaração de candidatura legalizada», que inclui a sua identidade completa e o «logótipo escolhido para ser impresso na sua ficha eleitoral». O processo da candidatura deve igualmente conter «um curriculum vitae certificado sobre honra e um certificado médico emitido por um colégio de três médicos com juramento, designados por um juiz constitucional», sublinha o texto.

O decreto acrescenta entre documentos necessários «um espécimen da assinatura (rubrica), um registo criminal, um certificado de nacionalidade; uma declaração de moralidade fiscal e um recibo de depósito ao tesouro público de uma caução de 25 milhões de FCFA (42 mil dólares), não reembolsável».

Pelo menos cinco candidatos já anunciaram as suas candidaturas ou foram investidos pelos seus partidos políticos.                  

Em finais de janeiro de 2016, o Partido Congolês do Trabalho (PCT, no poder) investiu o atual Presidente, Denis Sassou N’guesso. No entanto, o líder congolês ainda não anunciou a sua candidatura.      

Redação com Agência

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade