Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Abril de 2019

ANGOLA

A MOCHILA PESADA DA DÍVIDA PÚBLICA NO FUTURO DE ANGOLA

ARGÉLIA

Argelia: A revolução, passo a passo

MOÇAMBIQUE

Ciclone Idai devasta centro de Moçambique

ÁFRICA DO SUL

A Nação Arco-Íris está doente!

SUDÃO

ASCENSÃO E QUEDA DO DITADOR OMAR AL-BECHIR

ANGOLA

Os paradoxos da dívida e o papel da China

ÁFRICA

A soberania monetária e o CFA

MUNDO

Cuidado com os abutres !

Rádio

Publicidade

Defendida divulgação e conservação de monumentos e sítios históricos do Luena

| Editoria | 25/03/2015

-A / +A

Imprimir

-A / +A

A população da cidade do Luena, capital da província do Moxico, defendeu esta terça-feira a necessidade de os órgãos responsáveis intensificarem as ações de divulgação sobre a importância dos monumentos e sítios históricos, através de palestras para a sua valorização e conservação.

Os alunos defendem que os monumentos e sítios devem conter placas ou dísticos publicitários para maior valorização
(DR)

Em declarações à imprensa, Armindo Cassauié, estudante de 25 anos, disse que, dado o valor histórico para a cultura e a identidade angolana, é necessária a realização constante de eventos para se abordar as memórias materiais e imateriais. O estudante afirmou que a Direção da Cultura deve distribuir periodicamente cartilhas sobre os sítios e monumentos classificados existentes no Moxico, com os devidos detalhes, como histórias, gravuras, entre outros pormenores, para sua divulgação.   

Já Ernesto Santos Kussiquina é da opinião que os monumentos e sítios devem conter placas ou dísticos publicitários para maior valorização, para se consolidar o processo de divulgação e conservação. Entre os monumentos e sítios históricos, apontou a escola primária N.º 53, Comandante Kwenha, a escola do Liceu São Bento, os edifícios da administração municipal do Moxico, a estação do Caminho-de-Ferro de Benguela, a lagoa do Lago Dilolo, o Forte da Cameia, o Monumento à Paz e a Igreja Católica de Sacalumbo.

Já Filomena Juliana Rafael corrobora as opiniões dos anteriores interlocutores e sugere estrita colaboração entre a Direção Provincial da Cultura e as administrações municipais e a sociedade civil para melhor conservação do património cultural. Esta sinergia, segundo a jovem, de 22 anos, vai contribuir significativamente para a conservação da história da província, bem como da sua identidade etnolinguística, e não só.

Na província do Moxico estão registados pela Direcção da Cultura 93 sítios e monumentos históricos, sendo que o Forte da Cameia e o Monumento à Paz são considerados património cultural nacional.

Redação com Agência

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade