Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Agosto de 2019

ÁFRICA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA EM ÁFRICA, UMA BOMBA AO RETARDADOR

ÁFRICA

O PARADIGMA PARTICULAR DA DEMOGRAFIA VERSUS DESENVOLVIMENTO

ANGOLA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA UMA BOMBA DE EFEITO RETARDADO

EUROPA

O PESADELO DEMOGRÁFICO QUE ASSOMBRA A EUROPA

MOÇAMBIQUE

POR ALGUNS DÓLARES MAIS

MUNDO

MUDANÇAS CLIMÁTICAS PODEM ENGENDRAR “APARTHEID GLOBAL”

VENEZUELA

O CAPCIOSO RELATÓRIO BACHELET

ÁFRICA

RUMO A UMA ÁFRICA INTEGRADA E PRÓSPERA

Economia

Banco de Desenvolvimento financiou mais de 860 projetos até 2014

| Editoria Economia | 25/03/2015

-A / +A

Imprimir

-A / +A

O Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA) financiou de 2006 a 2014 um total de 863 projetos ligados aos setores de agricultura, indústria, comércio e serviços, num valor de cerca de 124 trilhões, 370 biliões 324 milhões e 53 mil kwanzas.

Os setores que mais absorveram o crédito foram o da agricultura com 35%, da indústria 51% e o comércio e serviços com 14%
(DR)

A informação foi prestada esta terça-feira, em Luanda, pelo administrador executivo do BDA, Walter Barros, no encontro de apresentação da Estratégia de Atuação do Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA), que se estende até 2017. Segundo a administração, aquele período foi marcado pela instituição do crédito agrícola de investimento e pela reorganização dos processos internos do banco.

A evolução total do crédito no período de 2007/2014, disse o administrador executivo, foi realizada por intermédio de operações diretas e indiretas, co-financiamentos e crédito agrícola de investimento, tendo sido os setores que mais absorveram o crédito a agricultura, com 35%, a indústria, 51%, e comércio e serviços, com 14%.

O BDA considera como principais fatores que impossibilitaram o êxito das suas actividades, a ausência de uma classe empresarial com competência de gestão, a falta de realismo dos projetos e dos planos de negócios submetidos ao BDA, a fragmentação dos circuitos comerciais, o fraco conhecimento do negocio pelos promotores, a concorrência desleal, a escassez de recursos humanos qualificados e a falta de idoneidade por parte de alguns promotores.

Na cerimónia de encerramento, o ministro da Economia, Abrahão Gourgel, referiu que a diversificação da economia é um tema-chave para Angola em 2015 e nos anos seguintes. «Não só como um mecanismo para mitigar os efeitos da redução do preço do petróleo, mas sobretudo como uma ferramenta para continuar a assegurar um crescimento sustentável da economia, a criação de riqueza e de postos de trabalho e também o correcto posicionamento da balança comercial de Angola», sublinhou o ministro.

Redação com Agência

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade